sexta-feira, 15 de julho de 2016

Resenha #38 - Os Garotos Corvos - Maggie Stiefvater

Livro: A Saga dos Corvos – Os Garotos Corvos vol. 1
Autor (a): Maggie Stiefvater
Editora: Verus Editora
Ano: 2013

Nota: 4/5

Sinopse: Todo ano, na véspera do Dia de São Marcos,­ Blue Sargent vai com sua mãe clarividente até uma igreja abandonada para ver os espíritos daqueles que vão morrer em breve. Blue nunca consegue vê-los — até este ano, quando um garoto emerge da escuridão e fala diretamente com ela. Seu nome é Gansey, e ela logo descobre que ele é um estudante rico da Academia Aglionby, a escola particular da cidade. Mas Blue se impôs uma regra: ficar longe dos garotos da Aglionby. Conhecidos como garotos corvos, eles só podem significar encrenca. Gansey tem tudo — dinheiro, boa aparência, amigos leais —, mas deseja muito mais. Ele está em uma missão com outros três garotos corvos: Adam, o aluno pobre que se ressente de toda a riqueza ao seu redor; Ronan, a alma perturbada que varia da raiva ao desespero; e Noah, o observador taciturno, que percebe muitas coisas, mas fala pouco. Desde que se entende por gente, as médiuns da família dizem a Blue que, se ela beijar seu verdadeiro amor, ele morrerá. Mas ela não acredita no amor, por isso nunca pensou que isso seria um problema. Agora, conforme sua vida se torna cada vez mais ligada ao estranho mundo dos garotos corvos, ela não tem mais tanta certeza.

Blue Sargen tem duas certezas na vida: a primeira é que ela é filha de uma mediu, mas ela não é mediu; a segunda é que ela matara seu verdadeiro amor com um beijo.
Mesmo tendo essas duas certezas em mente desde sempre em sua vida, Blue segui normalmente a vida, ela trabalha e estuda, além de ajudar sua família com as leituras, pois segundo sua família, Blue tem a habilidade de aumentar as energias, o que faz as leituras sejam mais precisas. Mas tem algo que Blue fica longe é de garotos, principalmente os da Academia Aglionby, por diversos motivos, além é claro da previsão de sua família sobre o seu verdadeiro amor.
Deixando seus problemas de lado é véspera do Dia de São Marcos, uma noite especial para a família de Blue, pois nesta noite elas têm um encontro com os espíritos que iram partir em breve em uma antiga e abandonada igreja. Mas neste ano Blue não ira com sua mãe, mas sim com Neeve, uma antiga amiga de sua mãe.
Mas não é só apenas essa mudança, a outra novidade na vida de Blue.

“Eu estou vendo – disse Blue.” Pag. 22

Vivendo em uma família de mediu era de se espera que Blue estivesse acostumada a ver espíritos, mas não, ela nunca tinha visto nenhum fantasma ou espírito ate esta noite. Blue não sabe o que fazer, a única coisa que sabe é que precisa descobrir quem é ele, pra assim poder ajudar.

“Existem apenas duas razões para uma não vidente ver um espírito na véspera do Dia de São Marcos, Blue. Ou você é o verdadeiro amor dele – disse Neeve – ou você o matou.” Pag. 24

Blue não entende porque isso esta acontecendo, porque ela viu o espírito de um dos alunos da Academia Aglionby. Mas essa não será única vez que o verá, pois Gansey o garoto que ela viu, aparece em sua casa para uma leitura de cartas, junto com seus amigos, Adam, Ronah e Noah.
Gansey e seus amigos vão ate a casa de Blue em busca de informações sobre as Linhas Ley ou Caminhos dos Corpos, como Blue conhece. Toda essa busca é para encontrar o tumulo de um antigo Rei Galês (Rei Glendower), que há muito tempo fora enterrado e a única pista sobre seu tumulo é as Linhas Ley. Blue não entende o que realmente Gansey quer, mas sente que tem que ajuda-lo nessa busca.

“O rei ainda dorme sob uma montanha, e em torno dele estão reunidos seus guerreiros e seus rebanhos e suas riquezas. Ao lado da mão direita, está o seu copo, cheio de possibilidades. No peito aninha-se a espada, esperando também, para despertar. Afortunada é a alma que encontrar o rei e for bravo o suficiente, para acorda-lo, pois o rei conceder-lhe-á um favor, tão maravilhoso quanto possa ser imaginado por um mortal.” Pag. 102

A leitura das Cartas não é como Blue estava acostumada, pois usa mãe Maura, não gosta nenhum pouco da energia de Gansey e seus amigos. Mesmo indo contra sua mãe Blue resolve ajuda-los, assim ela conta a Gansey o que sabe sobre as Linhas Ley e sobre a Igreja onde os espíritos se encontram na Véspera do Dia de São Marcos, dela partem seguindo uma das Linhas Ley, ate se depararem com um desenho de ‘corvo’.
O local onde esta o desenho, eles encontram uma floresta, onde coisas estranhas e inexplicáveis acontecem, como a passagem de tempo diferente do resto do mundo, arvores que mostram visões ou ilusões. Tudo isso deixa Gansey muito animado, pois ele sente que esta perto de encontrar o Rei Galês, mas Blue e Adam não sente a mesma coisa, pelo contrario sentem algo estranho.
Gansey esta feliz, pois finalmente esta conseguindo pistas que realmente o levam mais próximo do possível Túmulo do Rei Glendower, sente que com a ajuda de Blue ele e seus amigos finalmente iram resolver esse mistério.

“Gansey teve um sentimento incrível de coisa certa, (...). Como se Blue, e não a linha ley, fosse à peça que faltava e de que ele estivera precisando todos aqueles anos, como se a busca por Glendower não estivesse verdadeiramente a caminho até que ela fizesse parte dela.” Pag. 217

Depois de debateram sobre o que fazer em relação à Floresta Mágica, o grupo parte para a floresta em busca de mais informações e pistas, lá se deparam com uma informação um tanto estranha. Eles encontram uma mensagem gravada em uma pedra, mas o mais estranho é quem assina a mensagem, foi um deles quem a escreveu.

“— Arbores loqui latine — respondeu Ronan. — As árvores falam latim.
(...)
— E a última linha? — perguntou Gansey. — A última palavra não parece latim.  — Nomine appellant — leu Ronan. — Chame-o pelo nome. — E fez uma pausa. — Cabeswater.” Pag. 228

Isso é tudo muito estranho, mas pra Gansey faz parte de algo maior, algo que já aconteceu, que nessa Floresta, em Cabeswater as coisas acontecem de outra maneira, o tempo não é linear. E confiando em seus instintos Gansey segue o conselho e fala com as arvores, buscando muitas respostas.

“Se você despertar a linha, elas terão uma divida com você.” Pag. 232

A resposta das ‘arvores’ deixa todos confusos, pois como fazer para desperta uma Linha?! Em busca dessa resposta Blue leva Gansey ate a Igreja onde o viu pela primeira vez, andando por lá eles descobre algo que não esperavam, descobre que outra pessoa já havia tentado despertar a Linha Ley, mas será que ela ainda esta tentando e quem será essa pessoa.
Após a descoberta na Igreja, o grupo sabe o que precisa ser feito para desperta a Linha Ley, mas será que elas terão coragem suficiente pra isso?! E a outra pessoa que esta em busca da Linha Ley, ela já fez isso uma vez, será que fará novamente? Se fizer Gansey, Blue, Ronan, Adam e Noah terão que tomar uma decisão, em grupo e individual que ira mudar a vida de todos.

O livro é narrado em diferentes pontos de vista, às vezes pela Blue outras pelo Gansey, Adam e Ronan e outros. Assim podemos ver e estar presente em diferentes momentos e situações do livro. 
A autora trabalhou muito bem a historia, de inicio super calma e tranquila e aos poucos foi aumentando a intensidade dos acontecimentos, mas sempre deixando o melhor pra depois, nos fazendo quer ler ainda mais depressa pra saber o que ira acontecer.
Outro ponto interessante é a temática, essa pegada sobrenatural, mas com um novo olhar, a questão das Linhas Ley e do Rei Galês...
Esse livro tem uma mistura de mistério, sobrenatural, aventura e amizade, onde juntos são mais fortes, que só juntos podem conseguir o que buscam.

Esse foi apenas o primeiro livro, no próximo Blue, Gansey e o grupo irão mais fundo nessa historia sobre o Rei Galês e a Floresta de Cabeswater, e saberemos mais sobre cada um. A Saga dos Corvos – Ladrão de Sonhos – vol. 2











      Primeiro livro da 1ª Maratona Literária de Férias do ‘Por Dentro do Livro’, lido e resenhado!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Volte sempre!
Comentários ofensivos serão deletados.