quarta-feira, 1 de março de 2017

Resenha #48 S. (O Navio de Teseu – V. M. Straka) - J. J. Abrams e Doug Dorst

Livro: S. (O Navio de Teseu – V. M. Straka)
Autor (a): J. J. Abrams e Doug Dorst
Editora: Intrínseca
Ano: 2015

Nota: 5/5

Sinopse: Um livro. Dois leitores.
Uma jovem encontra numa biblioteca um livro com anotações de um estranho. As margens repletas de observações revelam um leitor inebriado pela história e pelo misterioso autor da obra. Ela responde os comentários e devolve o livro, que o estranho volta a pegar. Ele é Eric, ela é Jennifer, e o inesperado diálogo dos dois os faz mergulhar no desconhecido. É esse velho exemplar típico de biblioteca - consultado, anotado, manuseado - intitulado O Navio de Teseu, de V. M. Straka, que o leitor encontrará dentro da caixa preta e selada de S.
S. está longe de ser um livro convencional. A obra conecta ao menos quatro histórias, que se desdobram ao mesmo tempo, embora não necessariamente em ordem cronológica. É um livro-jogo, que oferece várias possibilidades de leitura e instiga o leitor a decifrar os mistérios, códigos e pistas contidos em toda a obra. Seja nas notas, nas margens ou nos outros itens da caixa, há sempre algo além do que se vê aguardando para ser descoberto.

V.M. Straka, um autor recluso, ninguém nunca o viu pessoalmente, pelo menos é o que o ‘livro’ nos faz acreditar. O livro também não deixa claro que é o tradutor, F.X. Caldeiras, se é alguém ou mesmo o Straka utilizando-se de um pseudônimo.
O livro O Navio de Teseu, é o ultimo livro do outro, mas este livro não foi finalizado, pois Straka morreu ou sumiu antes disso. Em seu prefacio Caldeiras tenta explicar o que acredita que aconteceu, pois a muitas pistas que levam a lugar nenhum, assim como quem seria Straka.
Caldeiras em seu prefacio listou os possíveis autores a ser o verdadeiro Straka, entre eles o que mais chama a atenção seja o do jovem Václav Straka, mas o que intriga sobre ele é o fato dele ter cometido suicídio pulando de uma ponte, alguns dizem que ele morreu outros que se tornou o recluso V.M. Straka. 
Outros autores que também podem ser o verdadeiro Straka, são Torsten Ekstrom, Guthrie MacInnnes, Tiago Garcia Ferrara, Victor Martin Summersby, C.F.J. Wallingford, Reinhold Feuerbach, Kajetán Hruby e Amarante Durand.
Outros nomes já fora citados, mas esses são os que mais impressionam com a escrita semelhante de Straka. A teoria de que Straka não seja uma pessoa, mas sim um grupo que usa o nome V.M. Straka como um pseudônimo pra escrever no anonimato.
A obra de Straka principalmente este livro, o ultimo escrito pelo autor, é a obra de pesquisa de pós-graduação de Eric, que acredita que nele tenha as resposta que tanto busca sobre a identidade de Straka. Ao mesmo tempo temos a jovem Jem, que encontra o livro na Biblioteca, e fica curiosa com ele, pois esta cheio de anotações.
Assim essa inusitada amizade começa, entre Eric e Jem, usando de uma velha Edição do Livro o Navio de Teseu, para se comunicar, deixando anotações por todo livro, que levam a novas pistas e respostas ao mistério da identidade de Straka.
O ultimo livro escrito por Straka trás muitas perguntas e diferentes respostas. O Navio de Teseu, conta a historia de S. um homem que não se lembra de nada de seu passado, que se encontra em um velho e gasto Navio, com uma tripulação mais gasta quanto o próprio Navio.
A única coisa que se lembra de antes de ser arrastado para o Navio, para auto mar, foi de uma garota em um bar – Sola, a garota parecia lhe conhecer, mas ele não se lembra de nada dela.
No Navio S. se sente vigiado pela tripulação e pelo ‘Capitao’ do Navio, um cara grande, com uma enorme barba em redemoinhos de pelos negros. A tripulação, homens e mulheres de diferentes lugares, mas todos tem algo em comum, estão magros e amarelados, e se comunicam por meio de apitos, o que mais intriga S. nessa tripulação é o que ele observou, que a todos os dias alguém desce para as entranhas do Navio e quando volta esta mais acabado do que antes.
S. que resposta, mas também quer se libertar desse Navio, mas como fazer isso em pleno oceano. Depois de dias incontáveis S. tem sua grande e provável única chance de escapar, em meio a uma tempestade ele observa que estão próximo a uma costa, assim S. se joga em meio à tempestade.
Que cidade é essa S. não faz ideia, mas se depara com duas coisas que o deixa bastante intrigado, uma é uma manifestação e a segunda é Sola.
S. entra no meio da manifestação em busca de Sola, mas acaba se metendo no centro dessa manifestação, colocando sua vida em risco, acaba se deparando com seu inimigo ou perseguidor, a quem ele deve encontrar em sua missão.
Esta em terra não foi o que S. imaginou que seria, ele agora entende que tem uma missão, e que seu inimigo esta em seu encalço, mas S. não sabe o que tem que fazer, mas para essa missão recebe a ajuda do misterioso Navio e de sua tripulação.
A vida no Navio passa de forma diferente do resto do mundo ao mesmo tempo em que ele parece esta caindo aos pedaços o Navio ainda consegui seguir em frente, a cada novo destino.
A busca de S. por resposta o levou a uma longa jornada, a lugares que nunca ouviu falar. Essa busca o coloca entre duas escolhas, as quais ele não acredita ter, assim segue o caminho que acredita ser o único, caminho que o coloca mais longe de seu passado e mais perto de seu inimigo, mas ao fazer essa escolha ele também descobre coisa sobre sua missão e sobre o Navio.

Ao mesmo tempo em que acompanhamos S. em sua missão também acompanhamos Eric e Jem em tentar descobrir qual a verdadeira identidade de Straka, em debater suas opiniões e pontos de vista em relação ao ultimo livro de Straka, além de descobrir as pistas que Caldeiras escondeu nas notas de rodapé do livro.
Por meio das anotações e cartas e bilhetes podemos entender um pouco da historia de Straka, do mistério que cerca sua identidade e dos inimigos que ele fez ao longo do caminho, inimigos este que ainda estão por ai.

Ler S. é entra em um quebra-cabeça, cheio de pistas que levam a muitos lugares, cabendo a nos leitor descobrir qual delas leva a algum lugar. Para nós ajudar tem as pistas de Eric e Jem, os cartões postais, fotos e bilhetes que nos explicam acontecimentos da vida de Straka.
Admito que ler esse livro é um desafio, no inicio é bem confuso entender a historia de Straka e o próprio livro O Navio de Teseu, ler duas historias ao mesmo tempo. Não sei qual é a melhor forma de ler, ler primeiro o livro O Navio de Teseu e depois as anotações e conversar de Eric e Jem, as notas de rodapé de Caldeiras, acho que cada um que for dele deve encontrar a melhor maneira pra si.

A Editora Intrínseca se superou nesse livro, tem de tudo um pouco, mistério, ação, aventura, drama, um pouco de romance. É uma leitura que vai prender o leitor logo nas primeiras paginas. Além de esse ler um livro rico em detalhes, tanto na escrita como nos item que veem dentro do livro, que só deixa o livro ainda mais enriquecedor.  

PS.: o livro nos propõem descobrir junto com a Jem e Eric quem é o verdadeiro Straka. E sim, admito... não sei quem é. Tenho minhas suposições, então se você leu, me diga: "quem é Straka".






    Esta resenha faz parte da minha Maratona Literária de Carnaval!



Um comentário:

  1. Veja o site da Gui Margutti historias da Alice, ela fez uns posts bem bom igual ao seu. Acho que vocês deveriam conversar sobre S e sobre as suposições, hehe

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário. Volte sempre!
Comentários ofensivos serão deletados.